esta_edited.jpg

Aline Keny é Mestre e terapeuta Reiki Usui Tradicional, com linhagem comprovada. Presta atendimentos através de sessões de tratamento energético, bem como é habilitada a ministrar formação em Terapia Reiki em todos os níveis (níveis 1, 2, 3-A e mestrado: 3-B). Fez sua formação em Brasília (DF), concluiu dois Mestrados em Reiki, sendo o primeiro em Brasília (DF) e o segundo em Porto Alegre (RS).
 

Além disso, dentro das terapias holísticas, ensina ao cliente técnicas para limpeza energética através do Ho'oponopono. Atua também como Thetahealer, certificada pelo Think - ThetaHealing Institute of Knowledge (ThetaHealing® Basic DNA). 

É bacharel em Administração de Empresas, graduada pela Universidade de Rio Verde (UniRV) e se especializou em Administração Financeira - MBA Executivo em Negócios Financeiros, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Atualmente vivencia seu propósito maior Mestre Reiki e Terapeuta.

UM POUQUINHO DA MINHA HISTÓRIA

 

Cada expressão de vida no universo é única, e cada oportunidade neste planeta também. Que ninguém se engane, estamos aqui para aprender, nos desenvolver e amadurecer espiritualmente. A consequência é a depuração dos milênios de escuridão que angariamos no decurso de atos inconscientes e equivocados. A cada dia nos iluminamos um pouco mais, se assim for a vontade do nosso coração. A luz revela a sombra, quanto mais nos iluminamos mais nos tornamos aptos a reconhecer as camadas de nossas próprias sombras que ainda pairam à espreita. Portanto, autoconhecimento é a rota que nos conduz ao encontro com a luz que nós já somos, é a senha de acesso aos dons que nos pertencem por direito divino e que leva à essência verdadeira, o Eu Superior.

Você reflete sobre o valor da sua presente encarnação na Terra?

Como tem vivido seus dias?

Você honra seus relacionamentos?

Como tem escrito sua própria história?

Estes são apenas alguns pontos para reflexão.

 

Estou com 40 anos. Amo física quântica e tenho estudado essa ciência na teoria e na prática há cerca de 5 anos. O que mais desejo é um percurso livre, fluido, leve, próspero e amoroso, talvez igualmente este seja seu desejo. Continuo estudando e trabalhando para isso. Vivi alguns anos vibrando praticamente o tempo todo em quinta dimensão, independentemente de todos os desafios, e falo por experiência própria, para tal feito é necessário educar partes do nosso ego, o corpo emocional e o mental.

 

Embora sempre tenha buscado estradas mais fluidas, as coisas por aqui nunca foram flores. Eu vim em uma "encarnação-chave", que é quando se limpam bagagens residuais de vidas passadas em uma só. Esta atual vida tem sido uma grande escola para fazer diferente e melhor. Sei que ressignifiquei muitas experiências traumáticas e dolorosas, e por isso, sou grata e me dou parabéns.

 

Não tive a oportunidade de crescer com os meus pais biológicos, minha primeira infância foi turbulenta, traumática e triste, mesmo assim sou grata pela vida dos meus pais e pelo pouco tempo em minha infância que pude conviver com eles. Amo profundamente meu pai e minha mãe, realmente o sangue é forte. Sou grata por terem me dado a vida e uma excelente carga genética de saúde e inteligência, deles também herdei a força de suas raízes ancestrais, a força de ação e realização, coragem e perseverança. Mas, não estava nos planos que eu ficasse com meus pais. Deus, em sua infinita bondade e sabedoria, faz tudo certinho, fui criada por tios da família do meu pai, uma família humilde, alegre, de onde colhi os melhores exemplos de honestidade, trabalho digno e disciplina.

 

Por volta de 4,5 anos meu maior sonho era ler, sempre apaixonada pelos livros. Estudei em escola pública. Quando aprendi a ler e escrever, em minhas horas de folga, gostava de ir para a biblioteca da cidade, que ficava perto de casa, nessa época me lembro de um livro que me marcou, se chamava "Os meninos que comiam carne crua".

 

Aos 8 anos tinha percepções mediúnicas. Seguindo minhas intuições fui conduzida por meu mentor espiritual a uma biblioteca espírita. Se me recordo bem, o primeiro romance que li se chamava "Marta", após este primeiro contato com a literatura disponibilizada pela Doutrina Espírita, não parei mais. Estudo Doutrina Espírita há 32 anos, trabalhei em mesa mediúnica por 9. Apesar de não mais me intitular Espírita, honro profundamente o que aprendi no espiritismo.

 

Atualmente me considero Espiritualista. Adoro estudar sobre espiritualidade, psicologia, astrologia e temas relacionados ao autoconhecimento, inclusive, estudo sobre várias religiões, pois compreendo que todo e qualquer trilha percorrida com amor e respeito direciona ao Pai Maior.

 

Com a idade de 8 anos já sabia lavar, passar e cozinhar. Aos 10, vivenciei meu primeiro emprego, de forma remunerada, como empregada doméstica, e isso foi só o começo de uma longa jornada. Depois trabalhei como babá; vendedora de juju e chocolates que eu mesma confeccionava; bem como auxiliar instrumental em consultório odontológico; vendi cursos de inglês; também trabalhei como vendedora de acessórios de carros em concessionária; vendedora de joias folheadas, de tecidos e de calçados finos. No "segundo grau" concluí o curso Técnico em Contabilidade (fiz parte da última turma autorizada pelo governo).

 

Fui morar sozinha assim que completei 19 anos, nessa época eu era vendedora de calçados e ganhava relativamente bem, devido às comissões sobre as vendas. Aos 21 anos me tornei bancária, trabalhei por 4 anos como funcionária terceirizada na Caixa Econômica Federal (no FGTS), posteriormente prestei concurso e trabalhei por 14 anos no Banco do Brasil, onde atuei em diversos estados no Brasil (saí do BB em 2019).

 

Nessa época da adolescência eu sonhava em fazer faculdade. E fiz. Este foi um dos maiores desafios da minha vida, me formar em Administração de Empresas (curso que amo de paixão e utilizo o tempo todo). Eu já estava na Caixa Econômica, trabalhava muito e não ganhava bem. O que entrava era o suficiente para pagar o cômodo que eu morava, comer, pagar parte da faculdade e sair aos finais de semana com os amigos (sim, sempre fiz milagres com o meu dinheiro). Não tinha renda suficiente para pagar toda a faculdade, contudo, corri atrás de bolsa parcial, pedi dinheiro emprestado. Foram imensuráveis sacrifícios, até hoje quando olho para trás, sei que venci por inúmeros pequenos milagres e pela força da minha imensa fé e persistência. Não tive dinheiro para pagar o baile de formatura, só pude pagar a colação de grau. De toda forma, participei do baile como convidada dos meus amigos de turma (foi muito especial para mim).

 

Meu presente ao concluir a faculdade foi ser chamada no concurso do BB. Formei em julho, entrei no BB em agosto de 2005. O Banco foi uma das experiências mais desafiadoras e fantásticas da minha vida. Como aprendi na escola Banco do Brasil. Sempre disse que o Banco era meu pai e minha mãe, dado que me proporcionou uma boa qualidade de vida enquanto lá estive. Sou imensamente grata pela formação interna de excelente qualidade (que inclusive subsidiou meu MBA em Negócios Financeiros), e por todas as experiências com os colegas e pelas equipes que gerenciei. Sinto muita gratidão pelo plano de saúde e benefícios indiretos, a Cassi literalmente salvou uma pessoa querida em minha vida. Foi no BB que me tornei terapeuta, na prática, usando meus conhecimentos espirituais, que me serviram de base e como instrumento para me liberar carmicamente de incontáveis bagagens ancestrais.

 

Conheci o Ho'oponopono por volta de 2009, mas só usei esta energia em mim em 2013. Na sequência aprendi a trabalhar por meio desta egrégora, de forma mais intensa e assertiva, com os Mestres da Fraternidade Branca.

 

Em 2017, em busca de respostas e resoluções para questões pessoais, comecei a constelar e me tornei Consteladora Familiar em meu próprio processo terapêutico. Foram mais de 14 campos abertos só para curar a dor da minha criança ferida - isso entre 2017 e 2020. Aprendi a constelar estudando como autodidata, por observação da movimentação dos campos morfogenéticos e com auxílio dos Mestres Espirituais, em especial Mestres Kuan Yin, Saint Germain, Kuthumi e Seraphis Bay (sou muito grata por isso). Entre 2017 e 2021 constelei inúmeras pessoas. No entanto, não quero mais constelar por agora.

 

Conjuntamente, em 2017, chegou para mim o REIKI. O Reiki são as raízes, a base energética que dá sustentação para todo e qualquer trabalho terapêutico. Com o Reiki conheci as hostes celestiais. A energia Reiki é belíssima e nos realinha em todos os níveis do Ser: espiritual, mental, emocional e físico. Foi nessa época que recebi o chamado para seguir por esta profissão, que é minha nova missão. Compreendi que minha etapa no BB estava quase cumprida e me organizei para sair. Fiz minha formação em terapia Reiki em Brasília. Meu primeiro mestrado em Reiki foi em Brasília (DF) e o segundo em Porto Alegre (RS). Meus mestrados me lembram a época da faculdade, não foram nada fáceis, mais uma intensa etapa de resiliência e resignação.

 

Em 2018 chegou para mim o ThetaHealing, que é uma energia especial, de alta vibração, excelente para reprogramação mental e emocional - pelo Theta podemos modificar nossos sistemas de crenças equivocadas. Alio super bem o ThetaHealing, com o Reiki e o Ho'oponopono. Desenvolvi minha própria forma de conciliar estas três diferentes egrégoras.

Vez ou outra me sinto como Quíron, Na astrologia, Quíron é a nossa "ferida sagrada". A minha maior ferida ancestral é a rejeição da mãe, acessei várias vidas passadas, e venho nessa ferida a contar de antes de Cristo. De todo jeito, hoje, mais madura, compreendo o quanto foi difícil para minha mãe, não foi nada fácil para ela. Todos estamos dando o que temos para dar, da forma como sabemos dar - talvez, se eu tivesse passado pelas experiências difíceis que ela passou, eu não teria feito melhor, visto que quem veio antes acaba carregando cargas maiores, abrem e aliviam caminho para quem veio depois.

 

Na realidade nasci terapeuta (veio na minha programação espiritual), sempre tive faro de psicóloga, o que ajuda no tratamento terapêutico. Todavia, foi mesmo na escola da vida, por ter sido exposta a tantas dores, incompreensões e traumas que precisei me voltar para o espaço mais importante que existe, o meu próprio Ser (o meu interior). Só posso me colocar como ajudante porque aprendi a me autocurar.

 

Ao acolher e curar minhas próprias mazelas, me habilitei a respeitar e remediar o lugar de dor nas pessoas. Tudo que passei de doloroso, usei para o meu fortalecimento, e assim aprendi a sanar vários tipos de dor, justamente por conhecer a dor tão de perto.

 

Neste transcurso todo encontrei minha nova missão, agora oficialmente como Mestre Reiki e Terapeuta Integrativa, com o propósito superior de poder atender e repassar o conhecimento espiritual através dos cursos, workshops e atendimentos. Como instrutora, sou habilitada a auxiliar as pessoas que se afinizam comigo a encontrar seu próprio caminho de luz e força. Sei que entrego importantes chaves e que estas chaves possibilitam na abertura de determinadas portas. Afirmo, com convicção, que são chaves preciosas que podem lhe dirigir as mais elevadas paragens.

 

Com amor,

 

​Aline Keny

Texto escrito em 07.07.2021, revisado em 22.07.2021.

Ramo de oliveira.PNG