O QUE É A VERGONHA?

Pelo dicionário a vergonha pode ser definida como o sentimento de pudor ou receio de desonra, um constrangimento ou embaraço. Quando sentimos vergonha estamos acessando um dos aspectos do nosso orgulho. A vergonha abre portas de acesso às histórias de trauma e dor que habitam nosso inconsciente.


Ao lidarmos com a vergonha estamos iluminando os porões do inconsciente, limpando as velhas memórias que ainda teimam em nos influenciar. Na vida adulta se não estivermos atentos e conscientes aos nossos padrões psicológicos o inconsciente tem o poder de nos arrastar.    


Desde a infância fomos ensinados a nos conter, a reprimir certas emoções que fazem parte da natureza humana, emoções ditas “não boas” ou “não espirituais” como a raiva, o medo, a vergonha, a inveja etc.


Devido aos nossos comportamentos a vergonha foi incutida em nós na infância (ninguém escapou disto). Os pais (e nisto eu me incluo) na ânsia por educar os filhos para que sejam boas pessoas, por preocupação e mesmo na tentativa de controle sobre determinados comportamentos utilizam-se de sermões ou punições, e isto contamina o sistema da criança. Uma criança que se comporta mau está se sentindo desencorajada – os comportamentos infantis estão baseados nas crenças de não-aceitação, não-merecimento ou falta de importância (“não sou bom o bastante”; “ninguém percebe o meu valor”; “não mereço o amor dos meus pais” etc.) e as nossas críticas como pais geram sentimentos de baixa autoestima, raiva, vergonha, culpa - o que gera sofrimento emocional. A punição mesmo quando disfarçada de consequência lógica serve para perpetuar o ciclo de vingança. Encorajar não é incentivar o mau comportamento e sim eliminar a necessidade do mal comportamento. As crianças são péssimas intérpretes, seus comportamentos são baseados no que elas pensam que é a verdade e não na verdade (a verdade é que como pais estamos tentando dar o nosso melhor, mesmo que não saibamos exatamente a melhor forma para que as crianças nos compreendam).


Como adultos não precisamos sentir vergonha do que sentimos ou de ser quem somos. Todos os nossos equívocos, acertos e desacertos, aventuras e sucessos nos renderam uma bela bagagem de sabedoria. Erros são oportunidades para crescermos em amor, não precisamos nos envergonhar pelo nosso processo de aprendizagem enquanto espíritos na escola da Terra. Podemos nos permiti