O CORPO HUMANO: Digestão.

O intestino faz parte do sistema nervoso entérico. Há cinco vezes mais neurônios no intestino do que na medula espinhal.


A serotonina é conhecida como "O Hormônio da Felicidade" - 90% da serotonina do corpo é fabricada no intestino. Inclusive, muitos outros neurotransmissores são produzidos no intestino.


Este órgão possui um organismo separado e suas principais funções consistem em promover parte da digestão de alimentos e na absorção de nutrientes e água - o que mantém o corpo nutrido, hidratado e funcionando adequadamente. Além disso, o intestino permite a eliminação de toxinas e de demais substâncias que não podem ser absorvidas pelo corpo, o que acaba sendo eliminado sob a forma de fezes.


Nos últimos anos, vários estudos apontam o intestino como um importante órgão endócrino que auxilia na produção de hormônios e neurotransmissores responsáveis por influenciar o funcionamento de todo o corpo, assim como a saúde mental. Ele também colabora na regulação do humor, bem como a elevar os sentimentos. Existem em torno de 10 trilhões de bactérias no intestino e temos o poder de mudar o nosso microbioma.


A saúde do intestino pode ser pensada em três etapas: Remoção; Substituição e Restauração.


REMOÇÃO: é necessário remover todas as coisas que estão causando problemas ou danos. Por exemplo, alimentos sem bons nutrientes e alguns medicamentos que não são absolutamente necessários.


SUBSTITUIÇÃO: e o que podemos fazer para substituir uma bactéria maléfica? Ingerir alimentos realmente saudáveis. Beber água. Pisar na terra. Ter um cachorro. Abrir a janela para deixar o vento entrar e arejar o ambiente. Se expor à natureza.


RESTAURAÇÃO: e como podemos restaurar o nosso microbioma? Pegamos a maioria das bactérias da comida que ingerimos. Na ecologia de conservação, restaurar significa reintroduzir espécies a uma paisagem onde elas foram extintas – por analogia, somos capazes de aplicar tais princípios ao nosso intestino. As bactérias necessitam de combustível para se desenvolver, é imprescindível limitar o que você coloca para dentro, o ideal é que sejam só refeições saudáveis e de boa qualidade.


Do mesmo jeito que as plantas gostam de um bom solo para prosperar, o nosso microbioma precisa de boas plantas. Bactérias saudáveis, como muitas fibras vegetais, são indigestas, porque não servem para nos alimentar e sim para alimentar as bactérias intestinais. Quando a fibra é quebrada por bactérias intestinais, ela é fermentada em importantes substâncias à saúde do intestino. Após quebrarem as fibras, as bactérias intestinais liberam o ácido graxo de cadeia curta, basicamente: as fezes. Ácidos graxos de cadeia curta fortalecem o revestimento do cólon, isso não só previne doenças, como ajuda na saída dos resíduos do corpo. Pode-se dizer que o intestino sabe como fazer sua própria reciclagem.


COMO É UM INTESTINO SAUDÁVEL?


Um ótimo exemplo é quando ele está composto por uma bactéria chamada “faecalibacterium prausnitzii”. Ela nos protege do câncer de cólon, de doenças cardíacas e da diabetes, mas, não se pode transportar este tipo de bactéria.


Quando se tenta restaurar uma terra, você tem que descobrir a forma correta: "como crio um ambiente para encorajar o crescimento de espécies nativas?" Se você não está alimentando a “faecalibacterium prausnitzii” com uma dieta rica em fibras, ela não pode repovoar e recolonizar seu intestino com um número suficiente de bactérias saudáveis para lhe apoiar.


Somos o que nossas células comem. É saudável para nós, como humanos, pensar no que nutre nossas células. Quando pensamos quais são as habilidades para ser um bom jardineiro, sabemos que precisamos regar as plantas, deixá-las ao sol. Às vezes, esquecemos que os nossos corpos são como um jardim. O intestino funciona como uma “Sinfonia” em ressonância com alguns órgãos e com uma tonelada de bactérias, hormônios e substâncias químicas. É mais do que apenas digerir comida. Se tirar tudo, todos sentiremos a mesma coisa, passamos pelas mesmas lutas fisiológicas. O intestino é mais do que um motor, ele detém uma pegada única, ele é um universo inteiro.


Este precioso órgão é influenciado por muitos fatores. Pelo alimento que consumimos, pelo ambiente onde vivemos, pelas experiências que escolhemos vivenciar. Na verdade, o intestino pode ser compreendido como o nosso “segundo cérebro”, ele reflete tudo sobre nós. Ele é o eixo, e está no centro.


Texto baseado no documentário - CORPO HUMANO: Nosso mundo interior "Digestão".


Fonte adicional: https://www.tuasaude.com/funcao-do-intestino/

Imagem: Internet.