Maternidade...

"Ela estava ótima até você chegar!"

Sobre quando parece que a criança se comporta bem com todo mundo menos com a mãe.

"Todo mamífero espera a sua mãe antes de expressar um sentimento de pavor em voz alta. Na ausência da mãe, é melhor não se manifestar em demasia. Quando mamãe = segurança voltar, posso descarregar as tensões acumuladas. O mesmo processo está em curso quando a sua filha fica incontrolável com você à noite depois de passar o dia divinamente bem na creche".

"Ela aguentou situações de estresse sem nada demonstrar e só 'sucumbiu' quando você chegou. Às vezes, isso é difícil para as mães, que podem ter a impressão de que a criança deixa o pior para elas, ou podem achar que não são boas mães (sobretudo quando o pai reforça: "Olha, comigo estava tudo bem!").

Choros e crises de raiva são, às vezes (frequentemente), simples descargas de tensão dirigidas à fonte de amor incondicional: mamãe. Esse comportamento continuará durante muitos anos ainda; tenha isso em mente quando sua filha adolescente lhe gritar toda a raiva que tem dentro dela. Não esqueça que você é o receptáculo preferido para os seus sofrimentos; não por não ter autoridade (é o que muitas vezes dizem o pai ou mesmo a sua própria mãe), mas porque com você ela se sente segura". Trecho de Filliozat, Isabelle. "Já tentei de tudo!". Editora Sextante, 2014-09-18 - iBooks. Arte por Claudia Tremblay