Autoamor

"Amar a todos, conviver com os afins". Sobre o poder das escolhas e da autorresponsabilidade, afinal, estamos aonde nos colocamos - não somos vítimas de nada, nem de ninguém. O primeiro amor é o próprio: se não me amo e não respeito meus próprios limites, como poderei amar aos demais? O que tenho para dar? Que saibamos fazer melhores escolhas, sempre. Nunca abrindo mão do nosso poder pessoal. E quando íntegros em nossa energia, acessando nossa própria luz e amor, podemos sim compartilhar e auxiliar aos demais. Senão, não passamos de cegos tentando guiar outros cegos. Este não é um convite à individualidade e ao egoísmo (fechando nossos olhos à dor dos outros), e sim um lembrete a nos honrar cada vez mais. Com amor, Aline Keny