ÓRGÃOS E EMOÇÕES: A QUE EMOÇÃO CADA ÓRGÃO CORRESPONDE?

A medicina moderna tende a ter uma visão bastante mecânica e fisiológica das funções dos órgãos que compõem o nosso corpo. Mas na antiga medicina grega e na medicina tradicional chinesa, assim como em outros sistemas médicos, os órgãos internos são considerados sedes das emoções e são influenciados por estas. As emoções representam a resposta do nosso corpo para os nossos sentimentos. A antiga medicina grega considerava que as emoções fossem capazes de desempenhar um papel importante na saúde dos órgãos ou na ocorrência de certas doenças vinculadas a estes. A medicina tradicional chinesa associa 7 emoções aos seus respectivos órgãos. Veja a que emoção corresponde cada órgão, de acordo com a antiga medicina grega, da qual se desenvolveu a medicina ocidental, e também de acordo com a medicina tradicional chinesa. ANTIGA MEDICINA GREGA CORAÇÃO O coração é muito sensível aos estados emocionais. Emoções nobres, como a coragem, a bravura, a honestidade, o altruísmo e a empatia fortalecem o coração e o espírito da vida, enquanto as emoções menos nobres, como a culpa, o remorso e a tendência a desistir, o enfraquece. O amor, e a vontade de viver são muito importantes para o coração. De acordo com a antiga medicina grega, é realmente possível morrer de um coração partido. O coração é considerado vulnerável às paixões turbulentas que podem agitá-lo e causar febres agudas. PULMÕES O pulmão é um órgão muito importante que trabalha em estreita colaboração com o coração e que é sensível e vulnerável à emoções semelhantes. A sensação de ver negado o próprio espaço físico e vital pode causar problemas respiratórios e asma. Ao contrário, os sentimentos de dignidade e orgulho contribuem para a abertura do tórax e permite que os pulmões se expandam e trabalhem melhor. As emoções que reduzem a vontade de viver são perigosas para os pulmões, especialmente a dor e o luto. GARGANTA A garganta é considerada o centro da comunicação do nosso corpo. A incapacidade de se expor e de se expressar por meio de palavras para dizer o que se sente, pode causar problemas de garganta. A garganta inclui também uma porção do sistema digestivo. Fortes emoções, como a ansiedade e a tensão, podem causar problemas tais como o clássico "nó na garganta" e causar dificuldade para engolir. As palavras reprimidas podem causar o mesmo efeito. FÍGADO E VESÍCULA BILIAR A bílis é produzida pelo fígado e é recolhido na vesícula biliar. Estes dois órgãos são vulneráveis às emoções iradas, como a raiva, a irritabilidade, a frustração, o ressentimento, o ciúme e a inveja. Emoções iradas são baseadas nesses órgãos, de acordo com a antiga medicina grega, e pode danificá-lo. A ira e a raiva podem explodir indo do fígado para a cabeça e, assim, causar dores de cabeça, pescoço e ombro, tensão e estresse. Podem também aparecer distúrbios digestivos provocados pelo mal funcionamento do fígado e da vesícula biliar. ESTÔMAGO O estômago, assim como o fígado, pode coletar emoções iradas, como a raiva, a ira, o ódio e a frustração. Quando estas emoções se acumulam no estômago, podem causar úlceras e gastrite. Passividade, preocupação, ansiedade, tensão e estresse bloqueiam o fluxo de energia e podem causar problemas de estômago, cólicas e inchaço, até distúrbios como náuseas e desordens do apetite. INTESTINO O intestino está relacionado com desordens psicossomáticas e distúrbios digestivos causados por emoções que podem começar no fígado e no estômago. Na porção média e inferior do intestino se emaranham emoções melancólicas. O cólon é muito vulnerável à essas e